Conselho, Diretoria e Comitê
Diminuir Fonte Aumentar Fonte VoltarVoltar ImprimirImprimir EmailEmail PDF DownloadDownload Compartilhe
Conselho de Administração

O Conselho de Administração da MMX Mineração e Metálicos S.A. (“MMX” ou “Companhia”) é composto de, no mínimo, 03 (três) e no máximo 11 (onze) membros, acionistas ou não da Companhia, eleitos e destituíveis pela Assembleia Geral, com mandato unificado de 2 (dois) anos, permitida a reeleição. Atualmente, o Conselho de Administração da Companhia é composto por 1 (um) membro, sendo que as demais vagas serão preenchidas oportunamente.

A Companhia faz parte do Novo Mercado, segmento de listagem da B3 que representa o mais alto grau de exigência em termos de Governança Corporativa, devendo seu Conselho de Administração ser, portanto, composto por no mínimo 20% de Conselheiros Independentes, os quais atendem aos requisitos de independência definidos no Regulamento do Novo Mercado.

Dentre outras atribuições, cabe ao Conselho de Administração:

Estabelecer os objetivos, a política e a orientação geral dos negócios da Companhia;

•    Estabelecer os objetivos, a política e a orientação geral dos negócios da Companhia;
•    Nomear e destituir os Diretores da Companhia, fixando-lhes atribuições;
•    Fiscalizar a gestão dos Diretores;
•    Manifestar-se previamente sobre o Relatório da Administração, as contas da Diretoria e as demonstrações financeiras do exercício; manifestar-se previamente sobre o Relatório da Administração, as contas da Diretoria e as demonstrações financeiras do exercício;
•    Manifestar-se a respeito de qualquer oferta pública de aquisição de ações que tenha por objeto as ações de emissão da Companhia, por meio de parecer prévio fundamentado, divulgado em até 15 (quinze) dias da publicação do edital da oferta pública de aquisição de ações.


Como previsto na Política de Governança Corporativa da Companhia, o Conselho de Administração deve, ainda, zelar pelas transações que envolvam partes relacionadas.

A MMX Mineração e Metálicos S.A. – Em Recuperação Judicial reconhece o valor das boas práticas de Governança Corporativa e se empenha, constantemente, em aprimorá-las, atuando ativamente na realização de reuniões com investidores, manutenção de discussões junto aos seus stakeholders, incentivo à participação de seus acionistas nas Assembleias Gerais e implantação em seus empreendimentos das mais avançadas técnicas de desenvolvimento sustentável.

 

 

Conselheiro de Administração Cargo
Clovis Paes de Carvalho Membro do Conselho de Administração

Empresário no ramo de incorporação imobiliária nos segmentos residencial, comercial e hoteleiro, sócio da AIC Empreendimentos e Participações Ltda.

Diretoria Executiva

Os Diretores da MMX Mineração e Metálicos S.A. – Em Recuperação Judicial são os seus representantes legais, responsáveis, principalmente, pela administração cotidiana da Companhia e pela implementação das políticas e diretrizes gerais estabelecidas pelo Conselho de Administração. De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, os diretores da Companhia devem ser residentes no país, podendo ser acionista ou não. Além disso, até, no máximo, um terço dos membros do Conselho de Administração poderão ocupar cargo na Diretoria.

Os Diretores são eleitos pelo Conselho de Administração da Companhia com mandato de um ano, sendo permitida a reeleição. O Estatuto Social da Companhia estabelece que sua diretoria seja composta de, no mínimo, 2 (dois) e, no máximo, 8 (oito) membros, dos quais deverão ser designados um Diretor Presidente e um Diretor de Relações com Investidores. Os demais serão designados Diretores sem designação específica. Atualmente, a diretoria da MMX Mineração e Metálicos S.A. – Em Recuperação Judicial é composta por 2 (dois) membros.

Os atuais membros da Diretoria são:

Diretores Cargo
Clovis Paes de Carvalho Diretor Presidente e Diretor de Relações com Investidores

Empresário no ramo de incorporação imobiliária nos segmentos residencial, comercial e hoteleiro, sócio da AIC Empreendimentos e Participações Ltda.

 
Renato Abranches de Almeida Diretor sem designação específica

Renato Abranches de Almeida atuou por 13 anos em empresas de auditoria externa, podendo destacar a Ernst & Young e a KPMG Auditores Independentes. Possui grande experiência em empresas nacionais e multinacionais, incluindo companhias abertas, em auditoria contábil, financeira, de controles internos, laudos de avaliação contábil, com ampla experiência em diversos segmentos como, serviços, mineração, siderurgia, distribuição, bens de consumo e bens de capital, recursos energéticos, previdência complementar e fundos de investimentos. Coordenou trabalhos de auditoria em empresas multinacionais, adquirindo conhecimentos e experiência também em normas internacionais de contabilidade (IFRS). Atualmente, atua na Start Consultoria e Perícia Contábil Ltda, firma de consultoria na área contábil, financeira e controles internos.

 

 

Comitê de Auditoria

A Lei das Sociedades por Ações faculta às companhias a criação de órgãos complementares à Diretoria e ao Conselho de Administração, com funções técnicas destinadas ao melhor aconselhamento dos administradores.

O Comitê de Auditoria tem como objetivo assessorar o Conselho de Administração no desempenho de suas atividades relacionadas ao acompanhamento das práticas contábeis adotadas na elaboração das demonstrações financeiras da Companhia e de suas controladas e, ainda, na indicação e avaliação da efetividade da auditoria independente.
O Comitê de Auditoria da Companhia é subordinado ao Conselho de Administração, atuando com independência com relação à Diretoria da Companhia, sendo composto por 2 (dois) membros com mandato unificado de 1 (um) ano, permitida a reeleição. Os membros são nomeados e destituídos pelo Conselho de Administração e entre eles o Conselho nomeia um representante, que é responsável por presidir e coordenar o comitê.

No momento, o Comitê de Auditoria da Companhia não se encontra instalado.

Conselho Fiscal

De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, o Conselho Fiscal é um órgão societário independente da administração e dos auditores externos e que pode funcionar tanto de forma permanente quanto de forma não permanente. A Companhia prevê em seu Estatuto Social o funcionamento do Conselho Fiscal em caráter não permanente, podendo ser instalado a pedido de acionistas, nos termos da legislação aplicável.

Quando instalado, competirá ao Conselho Fiscal as atribuições previstas na regulamentação aplicável, permanecendo em funcionamento até a primeira assembleia geral ordinária após a sua instalação. As principais responsabilidades do Conselho Fiscal consistem em fiscalizar as atividades da administração, rever as demonstrações financeiras da companhia e reportar suas conclusões aos acionistas. De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, o Conselho Fiscal deve ser composto por, no mínimo, três e, no máximo, cinco membros efetivos e igual número de suplentes.

No momento, o Conselho Fiscal da Companhia não se encontra instalado.

 

Fale com RI
Fale com a MMX e tire suas dúvidas ou envie sugestões. Clique aqui
Alertas RI
Receba alertas da MMX e mantenha-se informado.
Copyright © 2010 MMX
Todos os direitos reservados
Política de Privacidade | Termos de Uso
RIWeb